sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O CONHECIMENTO

Os primeiros filósofos dedicavam-se, quase inteiramente, a um conjunto de indagações principais, quais eram: “Por que e como as coisas existem?”, “Qual a origem a origem da natural e quais as causas de sua transformação”? Contudo, a pergunta central era a seguinte: “O que são as coisas?”. Poderíamos reformular com a seguinte pergunta: “o que é o SER?” Desta feita, qual o SER presente em todas as coisas? Assim, segundo alguns, estudiosos, os primeiros filósofos não tinham a preocupação com o conhecimento como conhecimento, mas indagava se podemos ou não conhecer o ser.

Nesta ótica, podemos citar alguns exemplos capazes de abalizar o que anteriormente fora dito. Segundo Heráclito de Éfeso, a natureza é um fluxo perpétuo, p. ex., não podemos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos. Comparando, também, o mundo à chama de uma vela que queima sem cessar. O dia se torna noite, o novo fica velho, o quente esfria; onde cada ser é um movimento em direção ao seu contrário. A realidade para Heráclito é a HARMONIA DOS CONTRÁRIOS, onde não cessam de transformar uns nos outros. Neste caso, então como explicar o que a nossa percepção oferece, ou seja, um mundo ESTÁVEL? Já para Parmênides de Eleia, em oposição a Heráclito, nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo, para ele conhecer é alcançar o idêntico, o IMUTÁVEL. Como podemos pensar algo que é e ao mesmo tempo não é? Não é possível, diria Parmênides, pois o perceber e o pensar são diferentes. Além disso, os sentidos nos enganam.  Noutra linha de pensamento, temos Demócrito de Abdera, o qual desenvolveu a teoria sobre o ser ou sobre a natureza conhecida com o nome de atomismo. Segundo ele, a natureza é constituída por ÁTOMOS. Os seres surgem por composição dos átomos, transformam-se por novos arranjos e morrem pela separação deles.

Essas preocupações, a exemplo dessas, conduziram os filósofos gregos a duas atitudes: que não podemos conhecer os seres e que primeiro deve conhecer-se. Nesta primeira temos a figura dos sofistas que para eles se pudéssemos, pensaríamos todos da mesma maneira, nesta caso só haveria uma única opinião. Assim, para se relacionarem com o mundo e com os seres o homem utiliza de um instrumento, a saber: A LINGUAGEM. Utilizada para persuadir os outros de suas próprias ideias e opiniões. A verdade é uma questão de opinião e de persuasão, e a linguagem é mais importante do que a percepção e o pensamento. Ao contrário dos sofistas, Sócrates, propunha que a verdade poderia ser conhecida desde que possamos compreender que precisamos começar afastando as ilusões dos sentidos, as imposições das palavras e a multiplicidade das opiniões, pois os órgãos dos sentidos nos dão somente a aparências das coisas e as palavras meras opiniões delas.



FONTE:                                                                               CHAUI, Marilene, Iniciação a filosofia: ensino médio, volume único, São Paulo,Ática, 2010.

43 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. o texto introduz fazendo uma breve caracterização do surgimento dos primeiros filósofos e um dos primeiros questionamentos feitos por eles foram: porque e como as coisas existem? qual a origem natural e quais as causas de sua transformação? portanto a pergunta central era: o que são as coisas? e a autora coloca que essa pergunta poderia passar por algumas formulações dentre elas: o que é ser?, desta feita, qual é o ser?, desta feita, qual o ser presente em todas coisas?
    Assim segundo alguns estudiosos , os primeiros filósofos não tinha a preocupação com o conhecimento como conhecimento, mas indaga se podemos ou não ser.
    um dos exemplos dessa situação é uma colocada por Heráclito de Éfeso, a natureza é um fluxo perpétue, não podemos bamhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos.
    ao final do texto, o filósofo Socrátes expõe a seguinte pensamento a respeito da verdade que poderia ser conhecida desde que possamos compreender que precisamos começar afastando as ilusões dos sentidos, as imposições das palavras e a multiplicidade das opiniões, pois os órgãos dos sentidos nos dão somente a aparências das coisas e as palavras meras opiniões delas.

    ResponderExcluir
  3. A principio os questionamentos dos filosofos eram“Por que e como as coisas existem?”, “Qual a origem a origem da natural e quais as causas de sua transformação”? Contudo, a pergunta central era a seguinte: “O que são as coisas?”. Poderíamos reformular com a seguinte pergunta: “o que é o SER?” Desta feita, qual o SER presente em todas as coisas? Assim, segundo alguns, estudiosos, os primeiros filósofos não tinham a preocupação com o conhecimento como conhecimento, mas indagava se podemos ou não conhecer o ser. Por tanto os seres surgem por composição dos átomos, transformam-se por novos arranjos e morrem pela separação deles.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Na minha opinião os primeiros filósofos não se precupavam em conhece os conhecimentos porque eles se precupavam em conhece indicaçães principais.O que e importante do texto é que os conhecimentos falam de filósofos gregos é e muito importante e vou citar os segundos Heráclito de Efeso fluxo principal deles é a natuereza A Harmônia dos contrários e a realidades principal do Heráclito onde se cessam muitas tranformações uns dos outros. o texto está muito bom é esse o meu comentário.

    ResponderExcluir
  6. Adones Santos - 2ª ano B - Manhã

    Os primeiros filósofos não tinham a preocupação pelo conhecimento como conhecimento, mas indagava se podemos ou não conhecer o ser.
    Nesta ótica podemos citar alguns exemplos capazes de abalizar o que anteriormente fora dito, segundo Heráclito de Éfeso a natureza é um fluxo perpétuo por exemplo, não podemos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas. O novo fica velho, o quente se esfria; onde cada pessoa vai em direção contrária. A realidade para Heráclito é a harmonia do contrário. Já para Parmênides de Eleia, em oposição a Heráclito, nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo, para ele conhecer é alcançar. O perceber e o pensar são diferentes, diria Parmênides. Em outra linha do pensamento, temos Demócrito de Aldera, o qual desenvolveu a teoria sobre o ser e sobre a natureza conhecida com o nome de atomismo , segundo ele a natureza é constituída por átomos, os seres surgem por composição dos átomos, transformam-se por novos arranjos e morrem pela separação deles.
    A exemplos dessas, conduziram os filósofos gregos a duas atitudes: que não podemos conhecer os seres e que primeiro deve conhecer-se.

    ResponderExcluir
  7. ALUNO: ELIAS 2ANO (B) DA MANHÂ



    Os primeiros filosofo ele se dedicavam com um conjunto de indagação que eram principais, os primeiro filosofo eles não tinha a preocupação mas, mas indagava se eles poderes conhecer os ser.
    O que eu entedie que não pode se encontra duas vezes o mesmo rio, como os seres humanos nos não somos os mesmo.
    O texto quer dizer que tudo não e igual, tudo e diferente e mostra os conhecimento que fala sobre os ser as natureza que e conhecida como o nome de atomismo que ele è constituída por átomos e que os seres sugiram como a composição do átomo

    ResponderExcluir
  8. Aluna Cecília Mamedes 2º ano B

    O texto nos leva a ver que os primeiros filósofos eles não tinham tanta preocupação com o conhecimento e sim preocupavam saber se podemos ou não conhecer o ser.
    Alguns exemplos capazes de abolizar o que antes foi dito segundo Heráclito, que a natureza é um fluxo perpetuo, pois jamais podemos nos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos. A realidade para Heráclito é a harmonia dos contrários, onde não cessam de transformar uns nos outros. Os filósofos gregos chegaram a atitudes entre eles que não podemos conhecer os outros sem antes conhecer a nós mesmos. O fato é que nós não fazemos alguma coisa sem saber de varias opiniões e a linguagem é mais importante do que a percepção e o pensamento

    ResponderExcluir
  9. Os primeiros filósofos penssam na ética seus conhecimentos diferentes uns dos outros,por exemplo segundo Heráclito de Eféso "A natureza é um fluxo perpétuo".A realidade para Heráclito é a harmônia dos contrários, a nossa percepção oferece um mundo estável,ja Parmânides de Eleia pensa diferente de Heráclito,ele pensa que nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo para ele alcançar o idêntico é conhecer o Imutável.
    A verdade é que cada filósofo ou seja cada um de nós tem uma opinião diferente seja qual for o assunto sempre iremos pensar diferente.
    SOU: BRUNA JUSTINO DE SOUZA 2º ANO "A"

    ResponderExcluir
  10. pelo que eu entendi a natureza é um fluxo perpétuo".A realidade para Heráclito é a harmônia dos contrários, a nossa percepção oferece um mundo estável,ja Parmânides de Eleia pensa diferente de Heráclito,ele pensa que nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo para ele alcançar o idêntico é conhecer o Imutável.
    A verdade é que cada filósofo ou seja cada um de nós tem uma opinião diferente seja qual for o assunto sempre iremos pensar diferente.ademir..1.ano.canafistula.noite.

    ResponderExcluir
  11. o conhecimento
    sobre o texto acho que a principal preocupação dos filósofos ,era saber ou indagar o que verdadeiramente é o ser, uns dos filósofos que mas chama atenção no texto é Heráclito de efeso que segundo ele tudo estava em constante mudança ,ou seja tudo tudo ia tomando novas formas em constante transformações , um dos outos que também é muito intereçante no texto ,é Parmendes que segundo ele em total oposição de erarclito ,diria ele que só podemos ser aquilo que somos . enfim ele Quiz dizer que não podemos dizer algo verdadeiro em aquilo que estar passando por transformações,ou seja só se pode ser ser aquilo que é.

    ResponderExcluir
  12. podemos constatar que os primeiros filosofos não tinhão preocupação com o conhecimento,mas idagava se podemos ou não conhecer o ser.segundo heraclito de efaso a natureza e um fluxo perpetuo,p.ex.,não podemos banhar duas vezes no mesmo rio pois as aguas nuca são as mesma e nois nunca somos os mesmo.comparando tambem o mundo a chamar de vela que queima sem sesar.o dia se torna noite,o novo fica velho,o quente esfria.
    Ao contrario dos sofistas,socrátis propunha que a verdade poderia ser conhecida desde que possomos compreeder as imposições das palavras.

    aluna: ALANE MENDES DE OLIVEIRA 2°ano "B"

    ResponderExcluir
  13. O texto quis nos mostrar a importancia de saber "o que é o ser?" Onde Heraclito de Efeso,Parmenides de Eleia e Democrito de Abdera,com diferentes opinioes e teorias descreveram o que pra eles era o ser.Isto é o SER é diferente do SABER e como dizia heraclito nao podemos conhecer o que esta em frequente transformação.

    ResponderExcluir
  14. Aluna: Maria Luciana de Oliveira
    Turma: 2ºano - manhã

    A questão do conhecimento é muito diversificada, pois segundo o texto "o conhecimento", alguns homens tais como Heráclito, Parmênides e Demócrito tinham versões diferentes para explicar o que é o ser, a natureza.
    Devido a estas concepções, que os filósofos gregos chegaram a duas atitudes: que não podemos conhecer os seres e que primeiro deve conhecer-se. Contudo, mesmo que os sofistas pensassem que deveríamos ser todos iguais interiormente e que a verdade é uma questão de opinião e a linguagem é mais importante do que a percepção; segundo Sócrates defendia o seguinte pensamento: a verdade pode ser conhecida desde que possamos compreender que precisamos começar afastando as ilusões dos sentidos. Diante dessas descrições dos sofistas e filósofos, podemos parar um pouco e nos perguntarmos, porquê devemos fazer tantas indagações para explicar tais coisas; Deus é o ser unipotenet do universo e aos seus ensinamentos deixados por seu filho que devemos conhecer e seguir.

    ResponderExcluir
  15. Aluna-> Natália Clemente
    Turma -> 2º ano B Manhã

    No meu ponto de vista,os filósofos queriam saber como as coisas aconteciam,de onde vem? e o que estar presente em todas as coisas?
    Mais os primeiros filósofos não se preocupavam em saber as respostas,e sim tentar conhecer um pouco da história de onde vinhemos.
    Os filósofos gregos estavam a procura de respostas,e como cada um tem sua opinião,elas ficaram.Ao contrário,no mundo só existiriam pessoas com pensamentos iquais,para que isso não aconteçam,que cada um tenha sua própria opinião,que se expressem,pois o que vale é a linguagem,a conversa e a opinião contrária.

    ResponderExcluir
  16. Aluna-> Natália Clemente
    Turma -> 2º ano B Manhã

    No meu ponto de vista,os filósofos queriam saber como as coisas aconteciam,de onde vem? e o que estar presente em todas as coisas?
    Mais os primeiros filósofos não se preocupavam em saber as respostas,e sim tentar conhecer um pouco da história de onde vinhemos.
    Os filósofos gregos estavam a procura de respostas,e como cada um tem sua opinião,elas ficaram contrariadas.Ao contrário,no mundo só existiriam pessoas com pensamentos iquais,para que isso não aconteçam,que cada um tenha sua própria opinião,que se expressem,pois o que vale é a linguagem,a conversa e a opinião contrária.

    ResponderExcluir
  17. Aluna : Joana Mirelys Fidelis de Oliveira
    Turma: 2°ano A' Manhã

    Os primeiros filósofos não tinham a preocupação pelo conhecimento como conhecimento, mas indagava se podemos ou não conhecer o ser. segundo Heráclito de Éfeso a natureza é um fluxo perpétuo por exemplo, não podemos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas. O novo fica velho, o quente se esfria; onde cada pessoa vai em direção contrária. A exemplos dessas, conduziram os filósofos gregos a duas atitudes: que não podemos conhecer os seres e que primeiro deve conhecer-se.

    ResponderExcluir
  18. aluna: Mª Karoline vieira Teixeira
    Série: 2ª Ano"B". Turno: Manhã

    o conhecimeno

    O texto tem como objetivo mostrar ao leitor que os primeiros filósofos dedicavam-se inteiramente para descobrir o que são as coisas e se podemos realmente conhecer o ser, os filósofos não tinham tanta preocupação com o conhecimento e sim poder conhecer o ser.
    Segundo os filósofos gregos nos não podemos conhecer o ser sem antes conhecer a nos mesmos e que o instrumento do homem é a sua própria linguagem para pesudiar os outros de sua própria opinião e idéias.
    Os filósofos dizem que os seres surgem como uma composição transforma-se por novos arranjos e morremos com a separação dele.
    O conhecimento nos leva a conhecer coisas novas.

    ResponderExcluir
  19. Aluno: Felipe Souza de Oliveira.
    Série: 1ª Ano "C".
    Turno: Manhã.
    Os primeiros filósofos dedicavam-se inteiramente para descobrir as coisas, e então, segundo alguns estudiosos, os primeiros filósofos não tinham a preocupação com o conhecimento, mas se perguntavam se podemos ou não conhecer o ser.
    Podemos citar alguns exemplos com a capacidade de acabar com o que anteriormente foi dito, segundo Heráclito de Efeso a natureza é uma coisa perpetua. Por exemplo, não poder banhasse duas vezes no mesmo Rio, as águas nunca seriam as mesmas e nos nunca seremos os mesmos. Para Heráclito a realidade é a HARMONIA DOS CONTRARIOS. Mais a opinião de Parmênides de Eléia era oposta a de Heráclito, que não poderíamos nunca pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo, e a seu ver para ele conhecer é alcançar o idêntico.
    E com outro pensamento o Demócrito de Abdera, o que desenvolveu a teoria sobre a natureza conhecida como atomismo. Segundo seus conhecimentos a natureza era composta por ATOMOS.

    ResponderExcluir
  20. Aluno: João Paulo Domingos dos Santos
    Série: 2º ano A Turno: Manhã.

    Os primeiros filósofos ficavam em um conjunto de indagações e eles queriam saber a origem do natural e queriam saber também como eram a sua transformação.
    Os filósofos queriam saber o que eram as coisas e também queriam saber o que é o ser de onde vem e, eles queriam saber por que o dia se tornava noite, e o novo ficava velho. Os filósofos queriam saber como é possível que podemos pensar, algo que é e ao mesmo tempo não; não é possível; dizia Parmênides.
    Essa preocupação a exemplo dessas conduziam os filósofos gregos a duas atitudes: que não podemos conhecer os seres e que primeiro devemos nos conhecer. A linguagem utilizada para perssuadir a outros de suas própria idéias e opiniões.
    A verdade é uma questão de opinião e de persuasão e a linguagem é mais importante do que a percepção e o pensamento. Ao contrário dos sofistas, Sócrayes propunha que a verdade pode ser conhecida desde que possamos compreender que precisamos começar afastando as ilusões.

    ResponderExcluir
  21. Os primeiros filósofos preocupavam-se mais com as questões da existência das coisas, o porquê das coisas existirem, suas origens naturais e as causas de suas transformações, pode-se reformular essas questões apenas com uma: “o que é o SER?”. Segundo estudiosos da época, essas questões eram mais importantes para os filósofos do que suas preocupações com o conhecimento como conhecimento.
    Podem-se citar alguns exemplos que podem demarcar o que fora dito acima. Heráclito de Éfeso falava que a natureza é um fluxo eterno infindável, onde cada ser é um movimento em direção ao seu contrário, o dia se torna noite, o novo fica velho, o quente se esfria. Para Parmênides de Eleia, conhecer é alcançar o idêntico, o inalterável. Em outro modo de pensamento, temos as opiniões de Demócrito de Abdera, o qual delatou a doutrina sobre o ser ou sobre a natureza. Segundo ele, os seres humanos surgem por composição de átomos e morrem pela separação deles.
    A verdade é uma questão de opinião e de persuasão, e a linguagem é mais importante do que a percepção e o pensamento.

    Sávio Gomes - 2º B

    ResponderExcluir
  22. Gislany Torquato Felix 2º ano B

    O texto tem o objetivo de mostrar ao leitor que os primeiros filósofos se dedicavam inteiramente a descobrir as coisas e se podemos realmente conhecer o ser, os filósofos não tinham tanta preocupação sobre o conhecimento e sim poder descobrir o ser.
    Segundo os filósofos não podemos conhecer o ser sem antes conhecer a nós mesmos e que o instrumento de um homem é a sua própria linguagem para pesudiar os outros de sua própria opinião e idéias.
    Os filósofos diziam que os seres surgiam como uma composição transforma-se por novos arranjos e morremos com a separação dele.
    O conhecimento nos leva a descobrir novidades

    ResponderExcluir
  23. ALUNO:WELERSON DOS REIS MIRANDA / 2º ANO B/ MANHÃ

    O texto fala do surgimento dos filósofos, e as questões que eles se preocupavam, sendo a mesma “o que é o SER?”. Eles não se preocupavam tanto com o conhecimento como conhecimento, o texto também fala das teses de cada filosofo, como egundo Heráclito de Éfeso, a natureza é um fluxo perpétuo.
    A realidade para Heráclito é a HARMONIA DOS CONTRÁRIOS, onde não cessam de transformar uns nos outros. Já para
    Parmênides de Eleia, em oposição a Heráclito, nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo, para ele conhecer é alcançar o idêntico,o IMUTÁVEL. Como podemos pensar algo que é e ao mesmo tempo não é? Não é possível, diria Parmênides, pois o perceber e o pensar são diferentes.

    ResponderExcluir
  24. Aluna : Láramy Rodrigues Beserra
    série: 2° A' Manhã.

    Este texto nos mostra o quanto é difícil , conhecermos as pessoas , pois as pessoas estão sempre em mutação . Segundo o texto , as cooisas estão em constante mudança e com tempo muda, o dia viria noite , os novos fica velho e o quente esfria é isso nos mostra que conhecer não é isso nos mostra que conhecer não é exatamente uma questão de ser , mas de estar ..

    ResponderExcluir
  25. Aluna: Lidiane Mamedes
    Série: 1ª Ano "A"
    Turno: Manhã
    O texto nos leva a ver e a entender que a filosofia é como uma ciência e como toda ciência, a filosofia também tem sua origem e a ciência da filosofia da filosofia estuda os fundamentos da verdade que surgiu da ruptura dos antigos gregos, a filosofia surgiu logo após do fim do mito, no meu ponto de vista o mito sempre foi visto como uma fantasia uma mentira que até hoje não sabemos qual é a verdade, existem varias diferenças entre o mito e a filosofia uma é que o mito não se importa com mentiras e contradições já a filosofia não, ela quer saber realmente ela vai até o fim mais ela quer saber da resposta final.
    Essas é uma das diferenças entre o mito e a filosofia.

    ResponderExcluir
  26. Um dos grandes motivos que introduziram a filosofia foi o forte desejo dos primeiros filosofos em saber o que é o conhecimento ou "o que são as coisas".No entan-to;seria impossivel conhecer algo,pois as coisas estão em constante mudança;o dia vira noite e a vela em chama vai se diluindo.
    Isso prova o quanto é difícil de se obter o conhecimento e na minha opnião "as coisas" não é uma questão de ser mas de estar;o que vai definir o que somos,ou melhor o estado em que nos encontramos é o tempo.O ser é uma coisa muito duradoura e o estar momentânea."o novo fica velho",de acordo com o tempo as coisas viram o contrario do que eram.
    Com isso concluimos que conhecer é alcançar o idêntico e a verdade é uma questão de opinião.

    Vanessa Bezerra da costa Vieira 2A

    ResponderExcluir
  27. ANÁLIA FARIAS 2 ANO B [MANHÃ]

    A QUESTÃO DO CONHECIMENTO É MUITO DIVERSIFICADO,POIS O TEXTO O CONHECIMENTO TAIS DOMO HERÁCLITO,PARMENIDES E DEMOCRÍTO TINHAM VERSÕES DIFERENTES PARA EXPLICAR O QUE É O SER,A NATUREZA.
    OS FILÓSOFOS GREGOS ESTAVAM A PROCURA DE RESPOSTAS,E COMO CADA UM TEM SUA OPINIÃO,ELES FICARAM.AO CONTRARIO,NO MUNDO SÓ EXISTIRIAM PESSOAS COM PENSAMENTOS IGUAIS,PARA QUE ISSO NÃO ACONTEÇAM,QUE CADA UM TENHA SUA PRÓPRIA OPINIÃO,QUE SE EXPRESSEM,POIS O QUE VALE É A LINGUAGEM,A CONVERSA E A OPINIÃO CONTRARIA.
    DEUS É O SER UNIPOTENTE DO UNIVERSO E AOS SEUS ENSINAMENTOS DEIXADOS POR SEU FILHO QUE DEVEMOS CONHECER E SEGUIR.

    ResponderExcluir
  28. O autor mostra no texto como eram os primeiros filósofos e como era o tipo de estudo deles.
    Os primeiros filósofos Heráclito e Parmênides, afirma que a natureza é um fluxo perpétuo e diz ainda que não podemos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos. Em oposição a Heráclito, nunca poderíamos pensar em algo que não fosse idêntico a si mesmo, para ele conhecer é alcançar o idêntico, o imutável.
    Os filósofos gregos foram conduzidos por duas correntes, uma conduzida pelos sofistas e outra por Sócrates.
    Aluno:José Ricardo Fernandes Nunes 2ºA Manhã

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. ALUNA:Thais Santos da Silva
    2anoB MANHÃ

    O autor quer nos passar que o homem é um ser que faz questionamentos existenciais, e que tem que interpretar a si e ao mundo em que vive, atribuindo-lhes significados. Cria representações significativas da realidade, as quais chamamos conhecimento.
    O conhecimento científico é o que é produzido pela investigação científica para encontrar soluções para perguntas como O QUE É O SER?. Embora não se possa alcançar todas as respostas, o esforço por conhecer e a busca da verdade continuam a ser a razões mais fortes da investigação científica.
    Podemos dizer que o CONHECIMENTO CIENTÍFICO :
    - É racional e objetivo.
    - Atém-se aos fatos.
    - Transcende aos fatos.
    - É analítico.
    - Requer exatidão e clareza.
    - É comunicável.
    - É verificável.
    - Depende de investigação metódica.
    - Busca e aplica leis.
    - É explicativo.
    - Pode fazer predições.
    - É aberto.
    - É útil.

    ResponderExcluir
  31. allecya joana 2°ano "b"
    os primeiros filosofos nao tinham a preoculpaçao pelo conhecimento como conhecimento, mas indagava se podemos ou nao conhecer a ser.
    segundo heráclito de Éfeso a natureza e um fluxo perpetuo por exemplo, nao podemos banhar duas vezes no mesmo rio, pois as aguas nunca sao as mesma. o novo fica velho, e o quente se esfria; onde cada pessoa vai em direçao contraria.
    para Heraclito e a harmonia do contrario.
    ja para Parmênides ele falava que nunca poderiamos pensar em algo que nao fosse identico a si mesmo, como podemos pensar algo que e do mesmo tempo nao e? nao e possivel, falava Pamenides. eu percebi que o pensar de HERATICO e de PARMENIDES sao pensamentos diferente.
    mais tambem temos Democritos de Agdera,o qual desenvolve a teoria sobre a natureza conhecida como o nome de atonismo.
    segundo Democrito de Abdera ele fala que a natureza e constituida por Átomos. os seres surgem por composiçoes dos átomos. condiziram os filosofos gregos as atitudes:e que nao podemos os seres e sim que primeiros devemos conhece-los.

    ResponderExcluir
  32. Aluna: Eduarda Rodirgues dos Santos série ; 2° A

    o texto mostra que, os primeiros filósofos dedicavam-se, quase inteiramente, a um conjunto de indagações principais, “Qual a origem a origem da natural e quais as causas de sua transformação”? e ficavam-se perguntando:“O que são as coisas?” alguns filósofos gregos chegaram a atitudes entre eles que não podemos conhecer os outros sem antes conhecer a nós mesmos, e que saibamos que nada acontece por acaso

    ResponderExcluir
  33. Os primeiros filósofos preocupavam-se mais com as questões da existência das coisas, o porquê das coisas existirem, suas origens naturais e as causas de suas transformações, pode-se reformular essas questões apenas com uma: “o que é o SER?”. Segundo estudiosos da época, essas questões eram mais importantes para os filósofos do que suas preocupações com o conhecimento como conhecimento.O texto mostra que, os primeiros filósofos dedicavam-se, quase inteiramente, a um conjunto de indagações principais, “Qual a origem a origem da natural e quais as causas de sua transformação”? e ficavam-se perguntando:“O que são as coisas?” alguns filósofos gregos chegaram a atitudes entre eles que não podemos conhecer os outros sem antes conhecer a nós mesmos, e que saibamos que nada acontece por acaso

    ALUNO:laerty macena 2°B MANHÃ

    ResponderExcluir
  34. Os primeiros filósofos se preocupavam com a questão de por que as coisas existiam, os estudiosos da época falavam que essas questões eram mais importantes para os filósofos do que suas preocupações com o conhecimento como conhecimento.
    Heráclito de Éfeso, Parmênides de Eleia e Demócrito de Abdera questionavam-se uns aos outros, cada um com sua tese formada em relação a existência do ser. A verdade é uma questão de opinião e de persuasão.
    Maria José Afonso do Nascimento - 2º B MANHÃ

    ResponderExcluir
  35. O texto fala do surgimento dos filósofos, e as questões que eles se preocupavam, sendo a mesma “o que é o SER?”. Eles não se preocupavam tanto com o conhecimento como conhecimento, o texto também fala das teses de cada filosofo, como egundo Heráclito de Éfeso, a natureza é um fluxo perpétuo. condiziram os filosofos gregos as atitudes:e que nao podemos os seres e sim que primeiros devemos conhece-los. Aluno: Rodrigo Gabriel 2° A'

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. A filosofia tem valor especial, principalmente por sua grandeza de objetivos e de liberdade proveniente da visão rigorosa resultante de sua essência.
    A importância do saber ou do ensino de filosofia para a construção do conhecimento tem sua partida na compreensão do que o conhecimento filosófico é diferente do senso comum e do religioso. Portanto, é na interseção deste fazer educativo plurinterdisciplinar que o ensino da filosofia poderá ressignificar-se para desempenhar a sua tarefa e atingir os seus fins.
    É no bojo intersubjetivo e inter-objetivo dos vários saberes disciplinares e experiências que sua função poderá dilatar-se e aprofundar-se, elevando os jovens ao nível dos domínios do saber sistematizado numa dimensão crítico-reflexiva e transformadora.
    O caráter emancipatório da filosofia para a construção do conhecimento crítico-reflexivo encontra sustentação nas condições reais sociais. Dessa forma, reconhece as estruturas da sociedade, na qual os homens estão inseridos e onde são sujeitos ativos e pensantes, bem como autores da dinâmica que dialeticamente alteram o curso das coisas em nome de um fim que é o próprio homem.
    Aluna:Edilaine da Silva Fernandes
    Serie:2°B' Manhã

    ResponderExcluir
  38. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  39. O texto quis nos mostrar o conhecimento e uma diversificada importancia"o que é oser"?"oconhecimento"alguns homens tais como Heróclito de Efeso,parmenides e Democrito tinham diferentes versões para explicar o que é o ser"a natureza.Mas tambem os primeiros filosofos queria saber como as coisar acontecia?de onde vem.Eles não preucupavam em saber as respostas e sem tentar conhecer um pouco cada historia.Questionando sempre um ao outro os seus conhecimentos e tradução de cada coisa.
    Aluna:Neide Maria 2ano B manhã

    ResponderExcluir
  40. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  41. A questão que os filósofos antigos se preocupavam era "o porquê das coisas existirem"," o que são as coisas?",contudo. "o que é o se?"
    Essas preocupações,a exemplo dessas,conduziram os filósofos gregos a duas atitudes:que não podemos conhecer as seres que o primeiro deve conhecer-ser.Assim,para se relacionarem com o mundo e com os seres o homem utiliza de um instrumento,a saber:A LINGUAGEM.

    Geisy Kelly - turno:manhã - 2 ano - "B"

    ResponderExcluir
  42. railson moreira 2;ano manha ´A´
    Os primeiros filósofos dedicavam-se inteiramente para descobrir as coisas, e então, segundo alguns estudiosos, os primeiros filósofos não tinham a preocupação com o conhecimento, mas se perguntavam se podemos ou não conhecer o ser.
    Podemos citar alguns exemplos com a capacidade de acabar com o que anteriormente foi dito, segundo Heráclito de Efeso a natureza é uma coisa perpetua

    ResponderExcluir
  43. o texto fala que os primeiros filósofos não tinha uma certa preocupação pelo conhecimento como conhecimento mas dagava se podemos ou não conhecer o ser...
    fala também que tudo não é igual , tudo é diferente e mostra o conhecimento que fala sobre o ser a natureza e que os seres humanos surgiram como uma composição do átomo.
    o fato é que aconteça o que acontecer , sempre teremos opiniões diferentes , o pensar diferente.

    ResponderExcluir